Cool site pour acheter des pilules http://achetermedicaments2014.com/ Ne pas se perdre venir sur.

Miolodebatesgvsaude3.pdf

Debates GVsaúde - Primeiro Semestre de 2007 - Número 3 Indústria Farmacêutica: vilã ou parceira?Jorge Raimundo Filho objetivo deste debate é apresentar respostas para as seguintes questões:Qual é o mecanismo de inserção de novas drogas no arsenalterapêutico? Qual é a abordagem da indústria farmacêutica, comrelação aos seus diferentes clientes: pacientes, médicos, hospitais? Equal é a expectativa da indústria em relação à rentabilidade,produtividade e crescimento, dada a política de genéricos? Antes de qualquer coisa, é minha intenção capitalização extremamente interessante: a Johnson & apresentar um posicionamento a respeito da indústria Johnson vale 183 bilhões de dólares; a Pfizer vale 156; farmacêutica. Anualmente, a revista Business Week a Glaxo, 146; a Novartis, 145; a Roche, 132; a Sanofi, apresenta o ranking das mil maiores companhias do E o que isso significa? Que o investidor acredita na O Wall Street Journal, de Nova York; e o Financial indústria farmacêutica. A Johnson & Johnson, hoje, é a Times, de Londres publicam diariamente esses valores.
empresa mais capitalizada do setor farmacêutico, mas A cada dia, esses órgãos de imprensa publicam a não era assim há alguns meses atrás. Era a Pfizer a mais capitalização do setor farmacêutico e dos outros capitalizada. As ações da Pfizer valiam 42 dólares; setores. Capitalização nada mais é do que o valor de chegaram a 23 e hoje estão a 28 dólares. As ações da uma empresa, ou seja, o número de ações que ela tem Pfizer caíram de 42 a 28. Quando a sua cotação era de multiplicado pelo preço unitário das ações. Se uma 42 dólares por ação, ela valia mais de 200 bilhões de companhia tem dez ações no mercado a um dólar dólares. A Glaxo, antes da fusão, tinha praticamente o cada, ela vale dez dólares; se tem um milhão a um mesmo valor de capitalização de hoje; depois que ela se associou a Smithkline, chegou a valer 200 bilhões de dólares. Fusão geralmente é uma confusão e na Portanto, a capitalização é formada pelo preço confusão as ações baixaram e, hoje, as duas estão das ações multiplicado pelo número de ações no mercado. E por que mostrar isso? Porque é interessante notar que a indústria farmacêutica tem um valor de Esses dados do valor de capitalização da indústria na Miami University; presidente doConselho Consultivo da Interfarma.
O papel dos fornecedores na cadeira de valor Debates GVsaúde - Primeiro Semestre de 2007 - Número 3 farmacêutica servem ao seguinte questionamento: como é que isso se Há uma molécula da qual se tem uma idéia de uma indicação, ela tem os compara aos outros setores. Por exemplo, no setor automobilístico, será que requisitos de novidade, tem atividade inventiva, e tem aplicação industrial; a Volkswagem vale muito mais que a Pfizer? É possível concluir, também, assim, ela está dentro das três características de uma patente. Aplica-se, que a Ford e a GM valem mais. Mas é possível achar que valem menos. A então, para a patente. Geralmente, três a quatro anos depois, por exemplo, percepção que se tem no Brasil é uma percepção um pouco errada sobre o nos Estados Unidos, essa patente é concedida. Parte-se da invenção, para o valor da indústria farmacêutica. Esse ano, Amgen, por exemplo, que não desenvolvimento da molécula. Na farmácia do laboratório, solicita-se a está no Brasil, é uma companhia de biotecnologia americana, baseada na transformação da molécula em uma matéria-prima. E eles começam a Califórnia, já vale 100 bilhões de dólares. A Abbott vale 58; a Lilly vale 57; trabalhar; e trabalham durante três, quatro anos para tentar fazer daquela a Wyeth, 55. Por outro lado, a indústria automobilística tem valores molécula algo palpável, uma matéria-prima.
diferentes. A Toyota vale 158; a Honda, 51; a Mercedes Benz, 51; a Nissan, Depois de pronta a matéria-prima, é o momento de testar pré- 45; a Mitsubishi, 32; BMW, 29; a Volkswagem vale 20; a Ford Motors, 15; clinicamente, em animais. Estes testes demoram mais ou menos dois anos.
e a General Motors vale 12 bilhões. Comparem 12 bilhões com 180. Menos Se foi bem em animais, ela passa para a próxima fase, em voluntários sadios.
de 7% de uma indústria farmacêutica é o que vale a General Motors.
São escolhidos de 20 a 80 voluntários, Os testes neste estágio, chamam-se A capitalização da indústria farmacêutica é de um trilhão e 600 bilhões Fase 1, que demora mais ou menos de seis meses a um ano. Em seguida, se de dólares. A da indústria automobilística é de 300 bilhões de dólares. Ou tudo ocorreu como o previsto, vêm os testes com um grupo de pacientes seja, a percepção do investidor que compra a ação é diferente de nós aqui para ver a ação da droga, efeitos colaterais e eficácia – mais um ano de no Brasil; quem compra a ação vê uma diferença básica entre a indústria trabalho. Chega-se, então, à Fase 3. Aí são mais ou menos 20 mil pacientes farmacêutica e a indústria automobilística que é nada mais, nada menos, sendo testados. Estes serão cuidadosamente monitorados. São os estudos que inovação e invenção. E é possível dizer para um fabricante de clínicos multicêntricos: acontece nos Estados Unidos, na Itália, no Japão; automóvel que se quer um carro amarelo, vermelho, quatro portas, duas em vários países. Quando termina a Fase 3, a droga passou por todos os portas, escolhe-se até a cor. Agora não se pode dizer para indústria testes. Depois disso prepara-se o dossiê para registro. Aqui no Brasil, farmacêutica; Eu quero agora a cura do Alzheimer; ou eu quero que você entrega-se a ANVISA toda a documentação de farmacologia, toxidade etc e me traga um remédio para curar câncer. Não há como! A indústria espera que o governo aprove. Quando ele aprova, o remédio pode ser farmacêutica tem um outro processo de invenção e de inovação. Existem, lançado no mercado. Aí vem uma outra responsabilidade: estudo na por exemplo, aqueles comprimidinhos que sempre se parecerem iguais. De população em geral. É o pós-marketing, o que se chama Fase 4. Nesse vez em quando, vejo: um, dois, três, quatro, cinco, seis comprimidos ponto, estamos no 14º. ano da invenção, mais ou menos. Surge um detalhe branquinhos, parecidíssimos, mas se colocarmos sobre a mesa cinco aqui: o inventor pediu a patente na fase inicial da pesquisa, a patente foi comprimidos brancos parecidíssimos e observarmos que esse branquinho concedida alguns anos depois; mas, desde o dia em que foi pedida a aqui vai para o sistema nervoso central, ele vai atuar em ansiedade. Esse patente, começa a contar o período dos anos que se terá a exclusividade.
outro branquinho aqui vai para o sistema nervoso central e vai atuar em Na verdade, haverá vinte anos de patente e, aproximadamente dez anos de depressão. Esse outro branquinho aqui vai para o sistema nervoso central e exclusividade. É o que acontece em média na indústria farmacêutica. vai atuar em panic disorder. Esse outro branquinho aqui é do sistema É importante observar que os cientistas estão criando a toda hora, mas nervoso central e vai para a dor. Como é que pode essa coisa maravilhosa, não significa que criou e ficou pronto! de pequenos comprimidos que se parecem tanto, mas, ao mesmo temposerem tão diferentes e terem dentro do organismo endereços tão diversos? É De cada dez mil produtos selecionados pelos cientistas, 250 vão para porque não é um comprimidinho, é um chip teleguiado. É a invenção da teste pré-clínico; destes, cinco entram em teste clínico e somente um vai indústria farmacêutica que faz com que se tome um comprimido e ele tenha a direção exata para onde vai. E isso é importante para responder parte da De cada dez mil, um entra no mercado. Assim pode-se observar que é primeira das nossas perguntas, sobre mecanismos de inserção de novas o longo tempo que se gasta para desenvolver um único medicamento. No drogas no arsenal terapêutico. E para isso é necessário explicar, do ponto de Brasil ainda não trabalhamos muito nessa área de pesquisa básica e nem, vista da indústria, como é que nasce uma nova droga. lamentavelmente, em muitas dessas áreas. Mas o Brasil pode fazer trabalhos A GlaxoSmithkline, por exemplo, tem 15 mil funcionários na área de clínicos de grande categoria, sem ter que gastar dinheiro com instalações, pesquisa e desenvolvimento, sendo que, 6 mil são PhDs. Qual o significado mas trazer capital e conhecimento, por meio da inserção do País nas áreas de dizer que existem aí 15 mil pessoas em Pesquisa & Desenvolvimento? de pesquisas clínicas. Para se ter uma idéia, a Finlândia recebe mais Significa que é necessário ter toda uma infra-estrutura de suporte, como dinheiro para trabalhos clínicos do que o Brasil. Não dá para comparar. No recursos humanos, departamento legal, área financeira, de logística, para Brasil, os órgãos reguladores demoram aproximadamente dois anos para apoiar o trabalho dos cientistas. E como eles trabalham? Eles têm uma idéia aprovar um estudo clínico. Se for feito um trabalho multicêntrico na Itália, num determinado dia e criam uma molécula. Digamos que o pesquisador na França, ou no Japão; e todos se comprometem a começar em um está lá trabalhando e conclui: Acabo de inventar a 5-hidroxitriptamina, que determinado dia, assim acontece. O Brasil não participa de vários estudos, vai ter uma ação no sistema nervoso central na área de enxaqueca. Ele porque no Brasil demoramos dois anos para aprovar um trabalho clínico, afirma: Esse remédio vai funcionar porque eu analisei todos os ângulos de devido às exigências burocráticas da ANVISA e do CONEP. seu mecanismo e, portanto, acho que ele vai funcionar. Depois que faz Para se inventar uma droga são necessárias além do tempo, vultosos aquela molécula, ele começa a trabalhar com os seus pares. Passados vários investimentos. Em 2005, as indústrias gastaram, nos EUA, 51 bilhões de meses de avaliação dessa molécula com vários cientistas, o projeto pode ir dólares em pesquisa, isso significa 18% de suas vendas. Comparado com para frente, ou não. Se for para frente à primeira coisa que o cientista faz é outros segmentos, no eletrônico os investimentos são de 6% das vendas; na chamar o departamento legal e mostrar a sua invenção. O departamento indústria automotiva são 4%; em telecomunicações, 5%. A média dos avalia: Vamos estudar e ver se esta invenção pode ser patenteada. Se não der para pedir patente, esquece! O departamento legal se reúne, trabalhasobre aquela invenção. Alguns meses depois, vem a resposta: Olha, é Para se inventar uma droga leva-se entre doze a quinze anos possível. Nós temos um candidato a ser patenteado! Nesse momento, não pesquisando; um em cada cinco a dez mil chega ao mercado e o custo se sabe se a droga vai existir, se vai ser comprimido, ou se vai ser injetável.
médio é de 897,5 milhões dólares por droga inventada; e sete entre dez não 20 O papel dos fornecedores na cadeira de valor Debates GVsaúde - Primeiro Semestre de 2007 - Número 3 cobrem os custos desse tipo de pesquisa. Em 2005 foram inventados 57 dito. Quinto, a base legal. Temos um código de conduta, que é uma novos produtos contra 51 bilhões de dólares gastos. preocupação internacional. Temos regras de conduta e procuramosagências de regulamentação e fazemos trabalho de auto-regulamentação.
Por que se gasta tanto? Porque esse mercado é atrativo, e a Por quê isso é uma preocupação internacional? Imaginemos uma empresa concorrência é enorme. O mercado farmacêutico mundial vale 566 bilhões que vale 150 bilhões de dólares e um gerente num país qualquer, resolve, de dólares. Nós, latino-americanos, representamos 4,2% de mercado; 500 por iniciativa própria fazer propaganda não aprovada do medicamento e o milhões de habitantes da América Latina consumiram 4,2% dos remédios.
resultado são efeitos colaterais indesejáveis. Isto fere a nossa Ásia, África, Austrália, 8,2%; Japão, 10,7%; Europa, 30%; e os Estados responsabilidade com o paciente e o médico e podem até provocar queda Unidos da América, com 250 milhões de habitantes, consomem 47% dos no valor das ações. Um dólar que cai numa ação de um determinado remédios do Mundo. E quais são as empresas que mais vendem? A Pfizer é laboratório são bilhões de dólares que desaparecem. Portanto, a a primeira, com US$ 47 bilhões – ela, sendo a maior do mundo, detém preocupação com o código de conduta da indústria é uma preocupação apenas 8% do mercado. A GSK tem 6%, com US$ 34 bilhões; Sanofi, 5%, internacional e nós temos um sistema de compliance dentro da indústria a Novartis, 5%, a Johnson & Johnson, 4,5%. A Astra, 4,3%; a Merck, 4,2%; a Roche, 3,5%; a Abbott, 2,8%; a Bristol-Myers Squibb, 2,6%. Esses dezprimeiros laboratórios detêm 46% do mercado. Na Interfarma o código de conduta estabelece diretrizes, normas e padrões uniformes, éticos e transparentes no relacionamento das empresas Os produtos mais vendidos nos principais mercados do Mundo são: associada com profissionais de Saúde e o público em geral. O representante Lipitor, um produto de 12 bilhões de dólares, redutor do colesterol; o Plavix, médico faz a promoção de forma ética e profissional. Ele tem que informar anti-agregante plaquetário vende US$ 6 bilhões; o Nexium, para úlcera, as vantagens do produto e seus riscos, fornecer subsídio científico do US$ 5,7 bilhões; Seretide, para asma, US$ 5,6 bilhões; Zocor, US$ 5,3 produto baseado em estudos; obter do profissional as informações sobre bilhões; Norvasc, Zyprexa e os outros são os principais medicamentos em aceitabilidade dos produtos e eventuais efeitos adversos. Vamos abordar agora a terceira questão do debate: O mercado A segunda questão do debate é: Como é que é a abordagem da indústria farmacêutico brasileiro está entre os dez maiores do Mundo. com relação a seus diferentes clientes: pacientes, médicos, hospitais,drogarias etc? Como é que nós da indústria farmacêutica lidamos com Vendemos aproximadamente um bilhão e 300 milhões de unidades por pacientes? Temos um órgão regulador que impede que a indústria ano desde 1990; estamos há mais de quinze anos vendendo em torno de um farmacêutica vá direto ao paciente. Então, o que fazemos? Buscamos bilhão e 300 mil unidades. Não aumentamos o acesso a medicamentos com incessantemente terapias eficazes para prevenir doenças, tais como: vacinas a chegada dos genéricos; o volume cresceu apenas 3,2% no último ano. e medicamentos da área de genética. Curamos uma quantidade de Os preços continuam controlados. O preço médio de um medicamento enfermidades que antes matava. Procuramos medicamentos que minimizem de marca hoje no Brasil é U$ 5,78 e um genérico é U$ 4,56. a dor. Buscamos permanentemente produtos para melhorar a qualidade devida. Buscamos, de modo incessante, atender as necessidades dos A situação dos preços para a indústria farmacêutica é a seguinte: o cliente vai a uma farmácia e compra um remédio que o preço máximo aoconsumidor, é de dez reais. Nele está embutida a margem da farmácia, Um exemplo de melhoria na qualidade de vida está no caso do garantida por lei, de 28%, dependendo do Estado ela chega a ser 30%.
medicamento Zofran, um antiemético para pacientes com câncer. Não cura Assim, o preço que a indústria vende é R$ 7,20. Mas, a indústria não o paciente de câncer, mas contribui para que sofra menos. E antes dele? O consegue visitar todas cinqüenta mil farmácias do país e, por isto, seus paciente com quimioterapia desistia do tratamento porque os efeitos negócios são feitos através de distribuidores. colaterais eram muito intensos. O Zofran com apenas uma injeção junto àquimioterapia faz com que o paciente não sinta nenhum efeito colateral. O distribuidor trabalha com 14,6% de desconto, que representam R$ 1,05 do preço. O resultado da venda descontados as margens da farmácia e Embora nosso trabalho não seja feito diretamente com os pacientes, distribuidores é R$ 6,15. Aí surge um sócio chamado governo, que só de fazemos contatos diretos com médicos, hospitais, associações de pacientes, ICMS arrecada 18% e isto representa mais R$ 1,10. Somados a isto temos o sociedades médico-hospitalares, empresas médicas organizadas para frete que representa mais R$ 0,24. O que sobra para a indústria são R$ 4,81.
trabalhos clínicos. Vamos direto ao público somente por intermédio da Sobre estes valores da cadeia incidem toda carga tributária.
mídia, para divulgar produtos livres de prescrição. Assim é a nossaabordagem para o paciente: buscar medicamentos inovadores para ajudá- Para cada real que a indústria vende, o consumidor vai pagar R$ 2,08.
los, é isso o que nós fazemos. Como é a nossa abordagem em relação aos Como é que isto se compara com o resto do Mundo? Na Inglaterra, para médicos, hospitais, drogarias etc? Temos normas de conduta. Por exemplo, cada dólar o consumidor paga U$ 1,14; na Suécia, U$ 1,30; no Japão, U$ na área de promoção o que diz a Organização Mundial de Saúde? O 1,43; no México, U$ 1,44; na França, U$ 1,52; US 1,55, na Itália; na seguinte: Os critérios éticos de promoção de medicamento devem ter um Espanha, U$ 1,69; U$ 1,76, na Argentina; U$ 1,80, na Alemanha; e U$ 2,08 comportamento adequado e compatível com a busca da verdade e da retidão. Os critérios de promoção não constituem obrigações legais. Os No Brasil, os principais laboratórios são, num mercado de US$ 7,9 governos podem adotar leis e outras medidas, quando necessárias. É o que bilhões, o Aché, que, para orgulho de todos nós, é uma empresa 100% faz a ANVISA. De igual modo, as empresas e entidades podem adotar medidas de auto-regulamentação. A Organização Mundial diz que toda apropaganda que contenha afirmações sobre medicamentos tem que ser: O Sanofi é o segundo. EMS é o terceiro e esse laboratório é brasileiro e fidedigna, verdadeira, exata, equilibrada, atualizada, de bom gosto e fabricante de genéricos. O Novartis, suíço, é o quarto. Pfizer o quinto, Medley e EMS brasileiros que graças a genéricos, ocupam a sexta e a sétimaposição, respectivamente. O oitavo é GSK, inglesa, o nono é a Schering- Como é que a indústria farmacêutica vê a responsabilidade na Plough americana e o décimo, a Boehringer que é alemã. Em virtude dos promoção? Primeiro, respeito ao paciente e ao médico. Segundo, a principais produtos vendidos no Brasil, costumo dizer o seguinte: Nosotros veracidade das informações. Isso é fundamental! Terceiro, é não distorcer a somos machos, brasileiro es macho, pero com dolor. Isso porque os verdade. Quarto, a evidência. É necessário ter evidência do que está sendo remédios mais vendidos aqui são esses: Viagra é o primeiro; Dorflex é o O papel dos fornecedores na cadeira de valor Debates GVsaúde - Primeiro Semestre de 2007 - Número 3 segundo. Um é para disfunção erétil o outro relaxante muscular. Cialis, pesquisa de agregação de valor. Uma outra vantagem da lei de propriedade disfunção erétil; Tylenol, analgésico; Yasmim é contraceptivo; Neosaldina, intelectual foi o incentivo para os Laboratórios Nacionais pesquisarem e analgésico. O Lipitor foge à regra. Diane 35, é contraceptivo. Arcoxia é anti- buscarem patentes. Biolab tem doze pedidos de patente, Libbs tem catorze, reumático. E Rivotril, que é anti-convulsivante. Entre os mais vendidos Medley, oito, Eurofarma tem um, EMS tem um, Biosintética, vinte, e Fiocruz existem dois que fogem à regra: um anti-convulsivante e outro redutor do colesterol, o resto é para macho brasileño con dolor. É a forma mais fácil de O INPI, lamentavelmente, não acompanhou isso, temos lá vinte mil se guardar como é que é o mercado farmacêutico brasileiro. pedidos de patentes da área de Saúde, saíram 269 em dez anos. Foram Os produtos de referência são os produtos inovadores de marca, os solicitados 1.100 pedidos de revalidação das patentes - o chamado Pipeline produtos similares são cópias dos inovadores, mas também produtos de - e foram concedidos somente 700 pelo INPI. O pessoal da EMBRAPA e da marca, os produtos genéricos são os produtos sem marca. As vendas são EMBRAER está fazendo pedido de patentes fora do Brasil. O respeito à Lei assim distribuídas: produtos de prescrição, 64% do mercado; venda livre, da Propriedade Intelectual, e a eficácia do INPI, são fatores fundamentais 27%; produtos genéricos, 9%. Os genéricos: crescem muito. Venderam US$ para o futuro da indústria de pesquisa em nosso país. Em virtude de tudo isto 717 milhões, são 9% do mercado, mas em unidades, são 11%. Enquanto e do cenário econômico do país, temos as seguintes perspectivas para todo mercado cresce a 3%, os genéricos estão crescendo a 26,1%. É indústria farmacêutica: foco do governo em acesso a medicamentos básicos realmente uma grande alternativa para o mercado farmacêutico brasileiro.
e melhora do abastecimento do setor público, porém impossível que haja A penetração do genérico é concentrada em medicamentos de prescrição. alguma reforma estrutural do setor. Os pacientes continuam respondendopelos custos dos medicamentos. Na Europa, o seguro paga. Aqui, nós As principais companhias de mercado genérico: Medley, a primeira com 69% das suas vendas em produtos genéricos. A EMS tem 47%; a Ache,15%; Eurofarma, 18%; Ranbaxy, 94%; Novartis, 6%. Esses são os principais Não se conhece previsão dos planos de reembolso de melhorar isso.
laboratórios na área de genéricos. Qual é a contrapartida de genéricos e por Maior restrição à propaganda de medicamentos pela ANVISA.
que os genéricos são importantes? Primeiro, porque o Brasil ficou muitos Fracionamento de medicamentos de prescrição no varejo é um negócio de anos sem propriedade intelectual e o Brasil não tinha patentes. Depois de risco, pois, não é o farmacêutico que vai fracionar, é aquele balconista que ter sido promulgada e a lei de patentes veio à lei de genéricos. Temos um vai chegar lá e abrir a cartelinha, e vender. Temos que trabalhar com muito arsenal de genéricos no Brasil de primeiríssima qualidade e a lei de cuidado com fracionamento. Não somos contra fracionamento, mas genéricos, brilhantemente, exigiu bioequivalência e biodisponibilidade. O queremos um no qual o farmacêutico seja responsável pela dispensação. genérico não existe se não existir patente. Por quê? Como já temos uma lei O preço continuará sendo fator crítico para gerenciamento de marca.
de patente, o fabricante de genéricos tem que esperar que a indústria Possibilidade de modificação nas regras de aumento e controle de preços invente e que a patente expire para que possa lançar o seu genérico. Se lutar para lançamento de novos produtos pode acontecer. Acredito que vamos ter contra a patente, mata a galinha dos ovos de ouro, porque não vai ter novos flexibilidade na área de preço, para produtos que não necessitam de medicamentos. Então a estratégia é ter produtos de invenção que tem dez, oito, doze anos com patente, esperar expirar e lançar o genérico combioequivalência e biodisponibilidade, com o preço menor; que é lógico: A atenção nos preços de novas drogas é muito grande, se perde muito não gastou em pesquisa. No caso dos genéricos, o laboratório não tem tempo estudando – dois anos para se liberar um produto para câncer, na área de preço; significa que se pode atrasar a entrada de novas drogas nomercado. E lamentavelmente, por falta de conhecimento das vantagens da Temos uma lei no Brasil de propriedade intelectual, a Lei 9 279, que propriedade intelectual para a sociedade, continuará a pressão do governo completou dez anos. Ela diz, em seu Artigo 8º. que é patenteável a invenção sobre preço de anti-retrovirais e seu patenteamento. que atenda os requisitos de novidade, atividade inventiva e aplicaçãoindustrial. Entretanto o Artigo 229-C da Lei de Propriedade Industrial Aumento de regulamentos por parte da ANVISA. Regras para testes estabelece o mecanismo da anuência prévia da ANVISA para duplicar o clínicos. Vários laboratórios no segmento de genéricos; programas de trabalho. O INPI analisa o pedido de patente e constata: tem novidade, farmacovigilância vão ser aprofundados. Não há visibilidade para um atividade inventiva e aplicação industrial. Está tudo correto, porém o INPI sistema de aprovação mais veloz para medicamentos do tipo salva-vidas. O não pode conceder a patente, pois o processo tem que passar pela ANVISA.
Esta tem que conceder a anuência. É um caminho burocrático; que é contra Pequeno crescimento da economia gerado, principalmente, pela o Artigo 27.1 do TRIPS e o artigo de 62.1, também do TRIPS. A ANVISA por demanda interna, não impulsionará o mercado farmacêutico. O poder de outro lado, concede registro para produtos que são cópias de produtos compra limitado e controle de preço continuarão; marcas de multinacionais patenteados. Por seu turno, o ofício 548 da ANVISA estabelece que vacina não são o diferencial, deixando a demanda desses laboratórios depender de não pode ter marca; é o único país no Mundo em que vacina não tem produtos inovadores e lançamentos. Empresas locais, focando em marca, ou seja, existe uma grande burocracia para atrasar e confundir o genéricos, mantêm taxa de crescimento acima do mercado. processo. Quais são as conseqüências da Lei de Propriedade Intelectual? Aprimeira: se não fosse essa norma legal, não teríamos medicamentos Ninguém espera que nos próximos dez anos o mercado cresça mais do genéricos, não teríamos a Lei de Inovação, porque a Lei de Inovação é que 15 ou 20%. E as cadeias de farmácia vão aumentar substancialmente conseqüência da Lei de Propriedade Intelectual. Não se pode fazer uma Lei de Inovação sem ter Lei de Propriedade Intelectual. O Judiciário não teria se Concluindo, nós da indústria farmacêutica, acreditamos que o processo aprimorado nesta área e não teríamos juizes especializados, como temos no de crescimento da indústria no nosso país passa por uma grande parceria. E Rio de Janeiro. A nova lei trouxe incentivos para novos investimentos em essa parceria passa pelo Ministério da Saúde, pela ANVISA, pelo Ministério ativos fixos, processo de transferência de tecnologia, acesso imediato a de Ciência e Tecnologia, pelo MDIC-INPI, pelo Itamaraty, pelos centros de novos e importantes medicamentos; parceria universidade – empresa, pesquisa das indústrias, pelas universidades, pelo sistema de Saúde – por combate à pirataria, aumento das pesquisas Fase 2, Fase 3, no Brasil. E o meio dos médicos, pacientes, hospitais, distribuidores, farmácia – na busca mais importante que a Lei de Patentes fez: transformar o conceito de de prevenção, tratamento, cura e qualidade de vida. Desde que o governo publicação de trabalhos científicos, de curiosidade acadêmica, para não nos veja como inimigos, mas como aliados e grandes sócios. 22 O papel dos fornecedores na cadeira de valor

Source: http://gvsaude.fgv.br/sites/gvsaude.fgv.br/files/33.pdf

Ippmachouille2008

Utilisation des anti-sécrétoires chez les enfants opérés d’une atrésie de l’œsophage Frédéric Gottrand, Unité de Gastro-entérologie, Hépatologie et Nutrition et Centre de référence des affections congénitales et malformatives de l’œsophage, Clinique de Pédiatrie, Hôpital Jeanne de Flandre et Faculté de Médecine, Université Lille2, Lille. Mâchouille : Qu’est-c

Concerns

Table 1. Important drug interactions netween P450 isoenzyme pathways and targeted therapies P450 isoenzyme Inducer or Substrate Reproduced with permission from ONCOLOGY Nurse Edition, 2/09, Anne Landry, Editor- full citation to come Inhibitors of CYP3A4 These drugs may increase serum levels of bexarotene- ketoconazole, itraconazole, erythromycin, gemfibrozil, grapefruit, grapefru

Copyright © 2010-2014 Predicting Disease Pdf